sábado, 5 de fevereiro de 2011

Vinho. Como escolher o tipo certo para cada ocasião.

by Roberto M.
Deve-se beber o vinho como acompanhamento de uma refeição? O vinho deve ser tomado como aperitivo? Deve-se usar o vinho numa reunião familiar? Bebe-se o vinho apenas em ocasiões especiais? Como servir o vinho? Qual é o melhor vinho?
Quem acha que beber vinho exige um ritual complicado e para poucos, está muito enganado.
O vinho, desde os primórdios das civilizações, sempre foi uma bebida popular. Ele sempre foi consumido como acompanhamento diário das refeições e não unicamente como bebida para ocasiões especiais.

Nem sempre vinho bom é aquele que custa muito caro. Existem muitas marcas brasileiras de excelente qualidade e até premiadas internacionalmente. Além disso, hoje em dia, as boas marcas internacionais chegam muito mais facilmente até nós e com preços bem mais acessíveis devido à globalização e ao fortalecimento de nossa economia.
Não é necessário ser um “expert” ou um autêntico “sommelier” para conseguir escolher um bom vinho. Bastam algumas informações simples para adquirir a garrafa certa e fazer a combinação adequada com a comida.
É lógico que os “entendidos” e os “pretensos entendidos” vão falar que não é bem assim; vão falar em heresia e outras coisas do gênero. Mas a verdade é que muito pouca gente entende verdadeiramente do assunto. Existe um mundo de curiosos metidos a entendidos.
 
Para bebermos um bom vinho, devemos ter  por princípio e padrão de referencia o gosto pessoal e a subjetividade. Devemos descobrir o que nos agrada experimentando. Através de acertos e erros.
Uma grande avaliação de um badalado crítico, pode não significar nada se o nosso gosto não coincidir com o dele.
O melhor vinho do mundo é aquele do qual gostamos.
O que importa é que para nós, simples mortais que gostamos de um bom vinho e que não sabemos muita coisa além de saber distinguir um vinho bom de um ruim, umas regrinhas básicas são suficientes. Vejamos:
 
Para usar o vinho como acompanhamento de um prato, utiliza-se a regra da cor: tinto para carnes vermelhas e branco para carnes brancas.
Normalmente, os vinhos tintos têm um sabor mais acentuado e por isso pedem receitas mais condimentadas.
Os vinhos brancos, ao contrário, costumam ser mais suaves e se dão melhor com pratos que não encobrem o seu sabor.
Vinhos brancos muito doces podem ser servidos  ao final das refeições, na hora da sobremesa. Vinhos brancos secos podem  fazer as vezes de aperitivo.
Para alegrar uma reunião com amigos, vinho tinto será sempre bem vindo. Uma combinação ideal é servi-lo com queijos.
O bom senso é fundamental. Comidas gordurosas combinam melhor com vinhos mais ácidos. Refeições leves e de sabor suave pedem vinhos de mesma intensidade para que um não prevaleça sobre o outro.
O acompanhamento ou o molho são mais determinantes na escolha do vinho do que o tipo de alimento. Normalmente, uma massa  combina com  vinho tinto, mas se o molho for branco, a combinação fica melhor com vinho branco.
 
Agora, vamos a alguns exemplos de combinações:
Vinho tinto seco leve : Carnes vermelhas fritas ou grelhadas; Frango assado ou cozido; Pizzas; Carpaccio de carne, Salgadinhos assados ou fritos; Bacalhau temperado  com legumes, batatas e molho; Paella.
Vinho tinto seco encorpado: Carnes assadas;  Queijos de mofo branco (brie, camembert ou caprice des dieux).
Vinho tinto leve: Massas com molho alho e óleo.
Vinho tinto encorpado: Queijos de massa dura (provolone).
Vinho tinto seco: Massas com molho de tomates; Massas com molho de ervas aromáticas; Massas com molho condimentado; Frios em geral; Queijos amarelos (edam, estepe, parmesão, gouda, gruyère).
Vinho branco seco: Massas com molho branco; Saladas em geral ; Entradas; Antepastos; Sardinhas; Queijos cremosos (Rambol); Sushi e sashimi.
Vinho branco seco leve: Peixes em geral (postas ou filé); Fondues.
Vinho branco seco encorpado: Ostras e mariscos.
Vinho branco doce: Fígado de ganso; Morangos; Bolos; Sobremesas.
Vinho Verde Branco: Bacalhau grelhado ou assado.
Vinho do Porto: Frutas secas; Bolos; Queijos azuis (roquefort); Sorvetes; Sobremesas.
 
Após a escolha do vinho, algumas regras devem ser seguidas na hora de servi-lo.
Existe uma diferença gritante entre servir o vinho em uma taça ou num copo de requeijão. A taça tem haste e não deixa o calor da mão passar para a bebida. Além disso, o formato da taça permite que se sinta melhor o aroma do vinho.
Se estiver frio, o vinho tinto deve ser servido na temperatura ambiente. Se estiver calor, o tinto deve ser colocado na geladeira por uns 20 minutos antes de abrir.
O vinho branco é bem melhor se servido um pouco gelado. É bom colocá-lo na geladeira por uma hora antes de servi-lo. Para que a garrafa não esquente enquanto se bebe, é bom colocá-lo num recipiente com pedras de gelo.
 
Artigos Recomendados:

 .

2 comentários:

  1. Boa tarde!
    Novamente boas dicas!
    É muito interessante um post falando a respeito do vinho, pois mesmo sendo muito "popular", está longe de ser "banal" e está em muitas ocasiões.
    Adorei, um beijo Telma! *-*

    ResponderExcluir
  2. muito interessante essas dicas !
    obrigado !

    ResponderExcluir

Seus comentários podem ajudar a melhorar o blog e também podem ajudar outros leitores.
Comente e critique se preferir..
Entretanto, eles não entrarão imediatamente, eles serão moderados.
Isso para evitar que, eventualmente, apareçam comentários ofensivos no blog.
Contamos com a sua compreensão.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...